Duloxetina

duloxetina

Quais são os efeitos colaterais da duloxetina?

O medicamento deve ser administrado numa dose de 60 a 120 mg, uma vez ao dia. Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com duloxetina são tontura, náusea, prisão de ventre, perda do apetite, boca seca ou aumento da produção de suor.

Quem inventou a duloxetina?

A Duloxetina foi criada por pesquisadores da Lilly Pharma. David Robertson, David Wong, um codescobridor da fluoxetina, e Joseph Krushinski estão listados como inventores no pedido de patente depositado em 1986 e concedida em 1990. A primeira publicacção sobre a descoberta da forma racémica de Duloxetina conhecida como LY227942, foi feita em 1988.

Quais são os mecanismos de ação da duloxetina?

Além disso, o mecanismo de ação da duloxetina está relacionada com a potencialização das atividades serotoninérgicas e noradrenérgicas no sistema nervoso central (SNC). Dessa forma, ocorre as atividades inibidoras da dor e a ativação dos mecanismos antidepressivos.

Como tomar o cloridrato de duloxetina?

Cloridrato de Duloxetina deve ser administrado em uma dose total de 60 mg, uma vez ao dia. Os pacientes devem ser periodicamente reavaliados para determinar a necessidade da manutenção do tratamento com Cloridrato de Duloxetina e a dosagem apropriada para tal.

Quais os benefícios do tratamento com duloxetina?

A hemoglobina glicada HbA1c foi estável em pacientes tratados com Cloridrato de Duloxetina e pacientes tratados com placebo.

Quais são os efeitos colaterais da duloxetina cápsula bucal?

A duloxetina cápsula bucal pode causar sonolência ou pode afetar sua capacidade de tomar decisões, pensar com clareza, ou reagir rapidamente. Não deve conduzir, utilizar maquinaria pesada, ou fazer outras atividades perigosas até saber como isso afeta você.

Quais são as doses de duloxetina?

A dose da duloxetina pode ser aumentada pelo médico para até o máximo de 120 mg por dia, dividida em duas doses de 60 mg. Os episódios agudos do transtorno depressivo maior necessitam de uma terapia farmacológica de manutenção, de uma dose de 60 mg, geralmente por vários meses ou mais longa. 2. Dor neuropática periférica diabética

Quais são os eventos adversos do cloridrato de duloxetina?

A seguir são descritos os eventos adversos provenientes de estudos clínicos com Cloridrato de Duloxetina para todas as indicações1 (N=12.722): Reação muito comum (> 10%): boca seca, náusea e dor de cabeça; Reação comum (> 1% e < 10%): palpitações, visão borrada, constipação, diarreia, vômito, dispepsia, dor abdominal 3 , flatulência, fadiga 5 , ...

Qual a função da duloxetina?

A duloxetina é um bloqueador específico e seletivo da recaptação de serotonina (5-HT) e de noradrenalina (NAd) sem influência significativa sobre outros neurotransmissores (acetilcolina, adrenalina, dopamina, histamina).

Qual o mecanismo de ação do cloridrato de duloxetina no tratamento da depressão?

O mecanismo de ação presumido de Cloridrato de Duloxetina no tratamento da depressão está ligado à inibição da recaptação neuronal de serotonina e de noradrenalina, resultando em um aumento na neurotransmissão destas substâncias no sistema nervoso central.

Qual é o mecanismo de ação da duloxetina no tratamento da incontinência urinária de esforço?

Ademais, se utiliza a Duloxetina no tratamento da incontinência urinária de esforço (IUE). Contudo, o seu mecanismo de ação ainda não foi plenamente estabelecido. Mesmo assim, se levanta a hipótese da associação com o aumento das atividades da serotonina e da norepinefrina na atividade da medula espinal.

Qual a diferença entre a duloxetina e o Sert?

Hoje, a duloxetina é caracterizada, do ponto de vista farmacológico, por inibição ligeiramente mais potente do SERT do que do NAT, mas essa dualidade nas vias de atuação terapêutica trouxe inúmeros ganhos nos conceitos acerca da depressão e da dor (um diferencial importante dessa classe medicamentosa).

Postagens relacionadas: