Linfoma o que é

linfoma o que é

Quais são os tipos de linfoma?

Existem dois tipos de linfoma, que podem ser diferenciados pelas características das células malignas encontradas nos exames de diagnóstico, como: Linfoma de Hodgkin, que é mais raro, afeta pessoas mais velhas e atinge células de defesa do corpo específicas, os linfócitos do tipo B;

Quais são os fatores que causam linfoma?

Outros fatores que também podem estar associados ao surgimento do linfoma são infecções pelo vírus HIV, pelo vírus Epstein-Barr, que provoca mononucleose, HTLV-1, que é responsável por certos tipos de hepatite, e infecção pela bactéria Helicobacter pylori, que pode ser encontrada no estômago.

Como é feito o diagnóstico de linfoma?

O diagnóstico dos dois tipos de linfoma é feito através de exames de sangue, exames de imagem e biópsia de medula óssea e o tratamento é baseado, principalmente, na realização de quimioterapia, radioterapia e transplante de medula óssea.

O que é linfoma no pescoço?

O principal sintoma é o aumento dos gânglios linfáticos, também chamados de linfonodos. Ele acontece porque as células cancerígenas se acumulam nessas estruturas. Os linfonodos são estruturas do sistema linfático que filtram o líquido linfático e estão presentes em partes específicas do corpo, como pescoço, axilas e virilhas.

O que é linfoma e como é diagnosticado?

O principal sintoma de linfoma é o surgimento de caroços e ínguas em locais do corpo como a virilha, o pescoço e as axilas do paciente. alterações na contagem de alguns indicadores no hemograma (exame de sangue).

Qual a diferença entre linfoma e câncer?

Linfoma é um termo genérico que não se aplica a apenas uma doença, mas sim a um grupo de várias doenças. É um câncer que, diferente dos outros tipos que tem origem em um tecido ou órgão, tem origem nas células do sistema linfático, que fazem parte do sistema imunológico, chamadas de linfócitos.

Quais são os fatores que causam linfoma?

Outros fatores que também podem estar associados ao surgimento do linfoma são infecções pelo vírus HIV, pelo vírus Epstein-Barr, que provoca mononucleose, HTLV-1, que é responsável por certos tipos de hepatite, e infecção pela bactéria Helicobacter pylori, que pode ser encontrada no estômago.

Quais são os diferentes tipos de linfoma de Hodgkin?

Mais de 80% dos pacientes com linfoma de Hodgkin inicial conseguem controlar a doença. Os linfomas não-Hodgkin apresentam muitos subtipos, mas didaticamente, podemos dividi-los em duas grandes categorias. 1) Tumores indolentes (baixo grau) – São aqueles que crescem lentamente, ao longo de anos.

Como saber se o linfoma está respondendo ao tratamento?

Se o paciente apresentar o aumento dos gânglios (carocinhos), o primeiro exame será físico e o especialista deverá fazer um exame bem minucioso, apalpando as regiões em que os nódulos linfáticos são mais fáceis de detectar, como axilas, pescoço e virilhas.

Quais são as dificuldades em chegar ao diagnóstico de linfoma?

Outra possibilidade para essa dificuldade em chegar ao diagnóstico de linfoma é a demora para indicar uma biópsia e avaliar adequadamente os anátomos-patológicos. “Existem diversos subtipos de linfoma não-Hodgkin e para a identificação correta é necessário um laboratório que tenha especialistas em Onco-Hematologia.

Quais são os sintomas de linfoma?

Aumento ou diminuição da contagem absoluta de leucócitos. Plaquetopenia (baixa contagem de plaquetas). Presença de linfócitos anômalos. Mas, nem sempre essas alterações estão presentes e, quando estão, somente esses resultados não são suficientes para realizar o diagnóstico de linfoma.

Como o linfoma altera o hemograma?

As alterações ocorrem quando as células tumorais invadem a medula óssea – nossa “fábrica” de células sanguíneas – promovendo diminuição da produção das mesmas”, o Dr. Bellesso explica. Ele complementa contando que outra possível situação na qual o linfoma altera o hemograma é quando os linfócitos anormais invadem o sangue.

Postagens relacionadas: